Veja

Telescópio Hubble Captura Imagens Raras de um Asteróide em Desintegração

Uma equipe de astrônomos identificou um caso raro de um asteróide girando no espaço, quebrando-se à medida que avança. A descoberta inicial foi um feliz acidente. O dr. Ken Smith, do Centro de Pesquisas Astrofísicas da Queen’s University, em Belfast, estava caçando explosões de estrelas (supernovas) quando se deparou com um objeto cuja cauda lembrava um cometa - mas não correspondia a nenhum registro conhecido. Intrigado, ele contatou seus colegas para investigar.

Dois meses de estudo se seguiram e os resultados já foram publicados - incluindo imagens do Telescópio Espacial Hubble que mostram claramente uma trilha de material que foi ejetado em rajadas curtas em outubro e dezembro de 2018.

O asteróide, chamado Gault, gira duas vezes a cada hora - tão rápido que rocha e gás estão sendo lançados de sua superfície para o espaço. Os pesquisadores acreditam que o calor do sol gradualmente fez com que ele girasse mais rápido, e seus spins foram gradualmente acelerando por mais de 100 milhões de anos.

As duas explosões de material no final do ano passado poderiam ter sido causadas por algo tão pequeno quanto a colisão com uma pedra.

"Esse evento de autodestruição é raro", disse Olivier Hainaut, do European Southern Observatory, da Alemanha.

"Asteróides ativos e instáveis, como o Gault, só agora estão sendo detectados por causa de novos telescópios de levantamento que fazem a varredura de todo o céu, o que significa que os asteróides que estão se comportando mal, como o Gault, não conseguem mais escapar da detecção".

Via techradar.com Queen's University Belfast